Importância do pH no produto de Higiene Íntima
Cuidado Íntimo

19 Fevereiro 2021

Importância do pH no produto de Higiene Íntima

Importância do pH no produto de Higiene Íntima

A Higiene íntima diária adequada é essencial para prevenir o aparecimento de sintomas de ardor, prurido, irritação, vermelhidão e sensação de queimadura na zona íntima.

No entanto, é fundamental escolher um produto adequado para a higiene íntima, que contribua para manter e reforçar os mecanismos fisiológicos de defesa da zona genital feminina. Os principais mecanismos de defesa desta zona são pH e a flora saprófita.
Neste artigo, saiba tudo sobre o pH da zona íntima feminina, a sua importância e porque é fundamental utilizar um produto que tenha a capacidade de o manter ou restabelecer, quando alterado.


O que é o pH vaginal?

O pH (potencial de hidrogénio) trata-se de uma unidade de medida, que determina se o meio é mais ácido ou alcalino.
A escala de pH varia de 1 a 14. Quando o valor do pH é igual a 7, o meio é neutro. Se o pH for menor que 7, esse meio ou solução é ácido, e se for maior que 7, é básico ou alcalino.
Todas as partes do corpo têm um pH fisiológico próprio, diferente entre si: por exemplo, o pH da pele é aproximadamente 5,5 (ligeiramente ácido) e o pH vaginal é cerca de 4,5 na mulher na idade fértil.
O pH fisiológico de cada parte do corpo deve ser respeitado e/ou restabelecido quando alterado. Desta forma, os produtos de higiene e cuidado para utilizar na pele e na zona íntima não podem ser os mesmos, uma vez que o produto deve ter um pH compatível com a zona do corpo em que é aplicado.



Qual é a importância do pH vaginal?

A partir da puberdade dá-se o início da produção hormonal de estrogénios que levam à libertação de ácido láctico. Este ácido láctico é muito importante, pois vai acidificar a zona íntima, baixando o seu pH a 4.5.

Este pH, que é o pH fisiológico da zona íntima da mulher na idade fértil, é fundamental pois promove o desenvolvimento de bactérias, fungos e outros microorganismos benéficos (a chamada “flora saprófita”), que impedem o desenvolvimento de microorganismos nocivos e protegem assim a zona íntima.

Se este pH fisiológico sofrer alteração, pode facilmente criar-se um meio propício ao crescimento de microorganismos nocivos na zona íntima. Por isso é tão importante respeitá-lo e mantê-lo.


Como varia o pH vaginal ao longo da vida de uma mulher?

O pH fisiológico vaginal varia ao longo da vida da mulher:

  • Na recém nascida , o pH da zona íntima é ácido (4-5) devido aos efeitos dos estrogénios maternos, herdados da mãe. Contudo esta situação dura somente uns dias, passando o pH a ser alcalino.
  • Durante a infância, a pele da zona íntima é muito fina e desprotegida. Ainda não existe produção de estrogénios, desta forma o pH desta zona ainda é alcalino ( superior a 7)
    Desde a puberdade até à menopausa, com o início da produção de estrogénios, o pH da zona íntima torna-se ácido (4,5). A presença de microorganismos benéficos (flora saprófita desenvolvida) que produzem ácido láctico protege esta zona contra contaminações externas e infeções, nesta fase da vida
  • Na gravidez, devido ao aumento de concentração de estrogénios, existe uma certa hiperacidez na zona íntima (o pH pode descer até 3,5) o que pode levar a alguns sintomas de ardor e prurido ocasional;
  • Na menopausa, devido à cessação de produção de estrogénios, o pH aumenta, tornando-se alcalino.


Como restabelecer o pH da zona íntima quando este se encontra alterado?

Por vezes o pH da zona íntima da mulher altera-se. Isto ocorre principalmente devido a alguns fatores como por exemplo:

  • Higiene com produtos inadequados que alterem o equilíbrio fisiológico vaginal, com tensioativos químicos agressivos ou pH diferente do pH fisiológico da zona íntima (pH 4.5);
  • Tratamentos com antibióticos durante muito tempo ou estados de debilidade do sistema imunitário;
  • Toma de certos contraceptivos orais;
  • Utilização de pensos ou tampões com efeito oclusivo e roupa interior sintética.

Esta alteração do pH pode desencadear o desenvolvimento de microorganismos nocivos, o que leva ao aparecimento de sintomas de prurido, vermelhidão e sensação de queimadura na zona íntima.

Para restabelecer o pH da zona íntima e aliviar estes sintomas, é fundamental a utilização de produtos de higiene e cuidado íntimo adequados, que restabeleçam o pH fisiológico, bem como a Flora Saprófita da zona genital.

Os produtos a utilizar quando existem estes sintomas de irritação, prurido e vermelhidão devem então ter um pH ligeiramente alcalino, para diminuir a hiperacidez característica deste tipo de situações e assim repor o pH fisiológico.


Que pH escolher para a sua solução de higiene íntima?

Deve escolher o seu produto de higiene íntima de acordo com a fase da vida em que se encontra:

Para Higiene íntima diária da menina, desde que deixa a fralda até à primeira menstruação, deverá selecionar um produto que respeite e restabeleça o equilíbrio fisiológico e o pH fisiológico da zona íntima externa da menina, ligeiramente alcalino ou básico - acima de 7 - reforçando as defesas naturais contra contaminações externas e que exerça simultaneamente uma ação anti-irritante e anti-vermelhidão, permitindo assim aliviar alguns sintomas que possam estar presentes como sensação de queimadura e prurido.

Para a higiene íntima diária da mulher a partir da adolescência e durante toda a fase fértil devemos procurar um produto que respeite o equilíbrio fisiológico da zona íntima externa, e que tenha um pH igual ao pH fisiológico da zona íntima, que nesta fase é ácido (cerca de 4,5) e mantenha a flora saprófita. Deve ter a capacidade de restabelecer o ecossistema da zona íntima externa quando alterado e ainda restabelecer a capacidade de defesa contra contaminações externas.

No caso de ter sintomas de prurido, vermelhidão ou sensação de queimadura na zona íntima significa que o pH desta zona se encontra alterado. Neste caso é fundamental a utilização de produtos de higiene e cuidado íntimo adequados, que restabeleçam o pH fisiológico, bem como a Flora Saprófita da zona genital.

Devem ter um pH ligeiramente alcalino, para diminuir a hiper acidez característica deste tipo de situações.

Devem promover igualmente um alívio da sintomatologia ou seja, diminuir a vermelhidão e irritação, a sensação de ardor e/ ou queimadura, o prurido e simultaneamente exercer uma ação calmante e protetora.


Existe algum produto da linha D’AVEIA com pH adequado para a higiene íntima diária feminina?

Dentro da linha D’AVEIA, existe uma gama de produtos para higiene íntima feminina, especificamente formulada e com pH compatível com o pH da zona íntima da mulher em cada fase da vida:

Desde que a menina deixa a fralda até à 1ª menstruação: D’AVEIA Íntimo Pediátrico, com pH ligeiramente alcalino (>7). desenvolvido para a higiene íntima quotidiana da menina, respondendo a todas as suas necessidades.

Contém os ingredientes base da linha D’AVEIA, promovendo uma higiene suave e delicada. Mantém o equilíbrio fisiológico da zona íntima externa, reforça as defesas naturais.

Com ação hidratante, emoliente, anti-irritante e calmante, aliviando os sintomas das vulvovaginites e prevenindo o seu aparecimento
Indicado na higiene íntima diária da menina desde que deixa a fralda até à puberdade. Alivia a sintomatologia das vulvovaginites.


Para a mulher na idade fértil: D’AVEIA Ginecológico, com pH ácido (4.5), igual ao pH fisiológico da zona íntima da mulher.

Contém Aveia Coloidal, que lava por um mecanismos físico que remove a sujidade sem alterar a proteção natural da pele. Além disso possui uma ação hidratante e emoliente e contém também arroz, com propriedades hidratantes, emolientes, protetoras e antioxidantes.

Indicado na higiene diária da mulher na idade fértil, inclusivamente na gravidez, pós parto e amamentação.

        
Em casos de prurido, ardor, vermelhidão e sensação de queimadura na zona íntima externa: D’AVEIA Ginecológico Calmante, com pH (8), ideal para reduzir a hiperacidez que se gera quando existe este tipo de desconforto. Desta forma, restabelece o pH fisiológico da zona íntima e alivia rapidamente a sintomatologia.

Contém Aveia Coloidal, Arroz e Milho, associada à Alantoína, Betaína e outros ingredientes de origem natural, exercem ainda uma ação hidratante, suavizante, regeneradora e protetora da zona genital externa.

Indicado na higiene íntima da mulher quando existem sintomas de prurido, ardor, vermelhidão e sensação de queimadura na zona genital externa ou de forma diária em mulheres com predisposição para estes sintomas.

        

Deve sempre complementar o tratamento com a aplicação de um tratamento tópico local, para aplicação na zona genital externa: D’AVEIA Gel Íntimo Calmante, com uma forma exclusiva com pré e próbióticos. Saiba mais sobre este produto aqui

FAQS

O que é o pH vaginal?

O pH é uma unidade de medida que determina se zona genital é ácida (pH<7) ou alcalina (pH>7). Na idade fértil, o pH vaginal da mulher é ácido (4,5).

Qual é a importância do pH vaginal?

O pH vaginal é fundamental para manter o equilíbrio fisiológico e evitar o aparecimento de alterações na zona íntima.

Como varia o pH vaginal ao longo da vida de uma mulher?

Antes da 1ª menstruação, o pH da zona íntima é alcalino. A partir da 1ª menstruação até à menopausa este torna-se ácido (4,5)
Como restabelecer o pH da zona íntima quando este se encontra alterado?
Nesta situação, recomenda-se a utilização de produtos de higiene e cuidado íntimo com pH alcalino.

Que pH escolher para a sua solução de higiene íntima?

Deve escolher um produto de higiene íntima que tenha um pH ácido (4,5) se estiver na idade fértil e com pH alcalino (>7) para a menina antes da 1ª menstruação.

Existe algum produto da linha D’AVEIA adequado para a higiene íntima diária feminina?

Sim! D’AVEIA íntimo pediátrico para a menina até à 1ª menstruação, e D’AVEIA Ginecológico para a mulher na idade fértil. Quando existem sintomas de prurido, irritação e ardor na zona íntima, recomenda-se a utilização de D’AVEIA Ginecológico Calmante.

Deixe o seu comentário sobre este artigo

O formulário foi submetido com sucesso.
Campo de preenchimento obrigatório.
Campo de email inválido
Campo com limite máximo de caracteres
Este campo não coincide com o anterior
Campo com limite mínimo de caracteres
Ocorreu um erro na submissão, por favor reveja o formulário.

* Campos de preenchimento obrigatório.